ECOSSISTEMAS E EVOLUÇÃO DOS NÍVEIS DE OCUPAÇÃO ANTRÓPICA DA MARGEM OESTE DO CANAL DE NAVEGAÇÃO DO PORTO DA CIDADE DE RIO GRANDE, RS

  • Daniela Oliveira
  • Milton L. Asmus

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo fazer uma identificação dos ecossistemas presentes na margem oeste do canal de navegação do porto da cidade de Rio Grande (RS) no estuário da Lagoa dos Patos e uma avaliação dos níveis de ocupação antrópica na região, usando como ferramentas um banco de dados e um sistema de informações geográficas (SIG). Este SIG teve como produto final uma série de mapas com a distribuição espacial dos ecossistemas e a evolução das atividades humanas na área portuária. Os portos são considerados como fatores de elevados riscos ambientais na zona costeira, tendo em vista que agregam atividades potencialmente impactantes, seja por suas características operacionais de carga e descarga, seja pelas atividades de expansão ou implantação de novos sítios, ou ainda pelo impacto químico das atividades industriais concentradas no seu entorno. Neste contexto, surge a necessidade da informação sobre ecossistemas e seu uso e alterações, como base a um gerenciamento ambiental destas atividades. Os ecossistemas identificados na área foram: marismas, dunas, campos, florestamento e planos de lama. Ao estimar o grau de supressão, os ecossistemas dunas e marismas tiveram suas áreas de ocupação reduzida com o passar do tempo. A área ocupada pelo florestamento mostrou um aumento, devido ao crescimento vegetativo do ecossistema. Os níveis de ocupação antrópica no município acompanharam os picos de desenvolvimento econômico na cidade, que apresentaram um aumento significativo entre as décadas de 40 e 70, com a criação do Superporto e do Distrito Industrial de Rio Grande.Palavras-chave: Porto de Rio Grande. Ocupação Antrópica. SIG.
Publicado
2014-08-04
Seção
Artigos