INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL DO JARDIM BOTÂNICO DE PORTO ALEGRE

  • Cíntia Elisa Dhein Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Jefferson Henrique Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul
  • Igor Niederauer Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Resumo

O presente artigo resulta de uma pesquisa de cunho qualitativo que objetiva analisar a interpretação ambiental proposta pelo Jardim Botânico de Porto Alegre. Os jardins botânicos, em geral, são espaços vivos de cultura e lazer, abertos ao público, e diferenciam-se dos parques por abrigarem uma coleção de espécies botânicas ordenada e devidamente classificada e registrada, o que aumenta seu potencial educativo. Este espaço também é considerado local ideal para práticas recreativas educativas e interpretativas, proporcionando diversos benefícios para a sociedade, entre eles o conhecimento sobre botânica a partir da interpretação ambiental. Posto isto, o artigo apresenta um estudo de caso, tendo por objeto a eficiência da interpretação ambiental do Jardim Botânico de Porto Alegre avaliando a que ele se propõe e se e de que forma instiga o visitante a compreendê-lo como uma unidade de conservação. A partir da observação in loco verificou-se que o atual sistema de Interpretação Ambiental adotado pelo Jardim Botânico com ações datadas de 2001 e 2008, e necessita de reestruturação e apresentação de novas propostas e equipamentos.
Publicado
2015-04-30
Seção
Artigos