APRENDIZAGEM ONLINE NA PERSPECTIVA TRANSDISCIPLINAR

  • Werley Carlos Oliveira PUC SP
  • Ana Hessel Di Grado PUC SP

Resumo

Resumo Pensar o desenvolvimento de um curso no formato eletrônico na perspectiva do pensamento complexo de Edgar Morin remete à busca pela compreensão da transdisciplinaridade e como ela se apresenta desafiadora e inovadora para as reflexões acerca de assuntos que fazem parte de ambientes educacionais corporativos. Este artigo pretende elucidar o conceito da transdisciplinaridade que se apresenta em três pilares: a complexidade, a lógica do terceiro incluído, e os diferentes níveis de realidade. Esta pesquisa visou a analisar, à luz dessa teoria, as experiências desenvolvidas no SESC-SP com funcionários que participaram de curso de formação no formato e-learning associado a fórum de discussão. Os dados analisados foram coletados no ano de 2015, e a análise considerou os princípios da transdisciplinaridade tendo como ênfase as interações realizadas em ambiente virtual de aprendizagem. Os resultados demonstraram expressivos índices de concordância dos alunos em relação às questões apresentadas, o que nos permite reconhecer nessa metodologia de ensino/aprendizagem princípios intimamente relacionados com as questões transdisciplinares. Resumo  Pensar o desenvolvimento de um curso no formato eletrônico na perspectiva do pensamento complexo de Edgar Morin remete à busca pela compreensão da transdisciplinaridade e como ela se apresenta desafiadora e inovadora para as reflexões acerca de assuntos que fazem parte de ambientes educacionais corporativos. Este artigo pretende elucidar o conceito da transdisciplinaridade que se apresenta em três pilares: a complexidade, a lógica do terceiro incluído, e os diferentes níveis de realidade. Esta pesquisa visou a analisar, à luz dessa teoria, as experiências desenvolvidas no SESC-SP com funcionários que participaram de curso de formação no formato e-learning associado a fórum de discussão. Os dados analisados foram coletados no ano de 2015, e a análise considerou os princípios da transdisciplinaridade tendo como ênfase as interações realizadas em ambiente virtual de aprendizagem. Os resultados demonstraram expressivos índices de concordância dos alunos em relação às questões apresentadas, o que nos permite reconhecer nessa metodologia de ensino/aprendizagem princípios intimamente relacionados com as questões transdisciplinares.

Referências

CAPRA, Fritjof. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Pensamento-Cultrix, 2002.

KUHN, Thomas. S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1991.

MATURANA, Humberto. VERDEN-ZÖLLER, Gerda. Amar e Brincar: fundamentos esquecidos do humano - Do patriarcado à democracia. São Paulo: Palas Athena, 2004.

MATURANA, Humberto. De máquinas e seres vivos. Autopoiese, a Organização do Vivo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997

MCLUHAN, Herbert Marshall. Understanding Media: The Extensions of Man. New York: The New American Library, 1964.

MORAES, Maria Cândida. Educação e sustentabilidade: um olhar complexo e transdisciplinar. In: Moraes, Maria Cândida. Suanno, João Henrique (orgs.). O pensar complexo na educação: sustentabilidade, transdisciplinaridade e criatvidade. Rio de Janeiro: Wak, 2014.

_______. Pensamento eco-sistêmico: educação, aprendizagem e cidadania no século XXI. 2ª. Edição. Petrópolis: Vozes, 2008

Morin, Edgar. Repensar a reforma, reformar o pensamento, a cabeça bem feita. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

_______. Introdução ao pensamento complexo. 4. ed. Porto Alegre: Sulina, 2011.

NICOLESCU, Basarab. O Manifesto da Transdisciplinaridade. São Paulo: Trion, 2001.

Publicado
2016-12-28
Seção
Artigos