UM NOVO OLHAR SOBRE O MBA: A APLICAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E HABILIDADES DESENVOLVIDOS NO CURSO

  • Patrícia Teixeira Maggi da Silva Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Diogo Reatto Universidade Presbiteriana Mackenzie

Resumo

Este estudo buscou identificar e descrever como alunos de MBA aprendem e aplicam os conhecimentos e habilidades desenvolvidos no curso nas suas práticas de trabalho. O método utilizado para realização desta investigação foi o estudo qualitativo básico, com o uso de entrevistas semiestruturadas em profundidade com alunos e egressos de MBA com especialização. As conclusões obtidas a partir da pesquisa de campo evidenciaram a importância do aluno em três aspectos: na escolha do curso mais adequado às suas necessidades de formação e aos desafios enfrentados no trabalho; no seu comprometimento com a aprendizagem no decorrer do curso, e na sua iniciativa e motivação para aplicar o que aprendeu no curso no trabalho. A aplicação ocorre basicamente de duas formas: a aplicação direta, que implica em mudanças de comportamento no trabalho; e a aplicação indireta, que envolve a capacitação para novos desafios e a ampliação da visão de negócios como um todo. Por fim, cabe destacar que a aplicação dos conhecimentos e habilidades no trabalho consolida o processo de aprendizagem, unindo teoria e prática. 

Biografia do Autor

Patrícia Teixeira Maggi da Silva, Universidade Presbiteriana Mackenzie
Doutoranda e Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie - área de pesquisa GHSO - Gestão Humana e Social nas Organizações. Suas principais áreas de interesse e pesquisa são: Administração Geral, Recursos Humanos, Gestão de Pessoas, Aprendizagem Organizacional, Desenvolvimento de Competências e Educação Corporativa.Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível superior (CAPES).
Diogo Reatto, Universidade Presbiteriana Mackenzie
Aluno do curso de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas - área de Gestão Humana e Social nas Organizações da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Referências

ABBAD, G.S.; BORGES-ANDRADE, J. E. Aprendizagem humana em organizações de trabalho. In: ZANELLI, J.C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS A. V. B. e cols. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004. p.237-275.

ASSOCIATION OF MASTERS IN BUSINESS ADMINISTRATION. MBA Accreditation guidelines and criteria. Disponível em: https://www.mbaworld.com/. Acesso em: 16/10/2016.

ANTONELLO, C. S. A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica, In: RUAS, R.; ANTONELLO, C. S.; BOFF, L. H. (org.) Os novos horizontes da gestão: Aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, 2005. p.12-33.

ANTONELLO, C. S.; GODOY, A.S. Construindo uma agenda para estudos em Aprendizagem Organizacional no Brasil. In: ANTONELLO, C. S; GODOY A. S. (org.) Aprendizagem organizacional no Brasil.Porto Alegre:Bookman, 2011a. p.583-592.

ANTONELLO, C. S.; GODOY, A. S. Cartografia da Aprendizagem Organizacional no Brasil. In: ANTONELLO, C. S; GODOY A. S. (org.) Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, 2011b. p.51-77.

BARUCH, Y.; LEEMING, A. The added value of MBA studies – graduates’ perceptions. Personnel Review, v.30, n.5, p.589-601, 2001.

BENNIS, W. G.; O’TOOLE, J. How business schools lost their way. Harvard Business Review, v. 83, n. 5, p.96-104, 2005.

BERTERO, C. O. Mercado de Esperanças, GV Executivo, v.6, n.5, p.73-78, 2007.

BERTERO, C. O. Emebieis e Emebeás, GV Executivo, v.7, n.6, p.44-49, 2008.

CRUZ, J. F. P. Percepção dos alunos sobre o impacto de curto prazo dos cursos de MBA em suas carreiras. São Paulo, 2013. 100 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração). Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas.

DUTRA, J. S; COMINI, G. M. Competência como base para a gestão estratégica de pessoas. In: EBOLI, M.; FISCHER, A. L; MORAES, F. C. C; AMORIM, W. A. C. (Org.). Educação Corporativa: Fundamentos, evolução e implantação de projetos. São Paulo: Atlas, 2010. p.101-121.

FLICK, U. Desenho da pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FLORES, J. G. Análisis de dados cualitativos. Aplicaciones a la investigación educativa. Barcelona: PPU, 1994.

GODOY, A. S. Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas possibilidades. RAE - Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v.35, n.2, p.57-63, 1995.

GODOY, A. S. Fundamentos da pesquisa qualitativa. In: TAKAHASHI, A. R. W. Pesquisa qualitativa em administração: fundamentos, métodos e usos no Brasil. São Paulo: Atlas, 2013. p.35-49.

GOSLING, J.; MINTZBERG, H. Management Education as if both matter. Management Learning, v.37, n.4, p.419-428, 2006.

HAY, A. Seeing differently: putting MBA learning into practice. International Journal of Training and Development, v.10, n.4, p. 291-297, 2006.

HERRINGTON, J. D. MBA: Past, Present and Future. Academy of Educational Leadership Journal, v.14, n.1, p.63-76, 2010.

HUNT, S. D.; SPECK, P. S. Specialization and the MBA: is the broad MBA passé? California Management Review, v. 29, n.3, 159-175, 1986.

LOUW, L.; BOSCH, J.K.; VENTER, D. J. L. Graduates’ perceptions of the quality of MBA programmes. Quality Assurance in Education. v.9, n.1, p. 40-45, 2001.

MALCOLM, J.; HODKONSON, P.; COLEY, H. The interrelationships between informal and formal learning. Journal of Workplace Learning, v.15, n.7/8, p.131-138, 2003.

MARSICK, V. J.; WATKINS, K. E. Lessons from informal and incidental learning. In: BURGOYNE, J.; REYNOLDS, M. Management Learning: integrating perspectives in theory and practice. London: Sage Publications, 1997. p. 295-311.

MARTIN, R. L.; GOLSBY-SMITH, T. Management is much more than a Science. Harvard Business Review. Disponível em: https://hbr.org/2017/09/management-is-much-more-than-a-science. Acesso em 01/09/2017.

MERRIAM, S. B. Qualitative Research in Practice: examples for discussion and analysis. San Francisco: Jossey-Bass, 2002.

MINTZBERG, H. Managers not MBAs: a hard look at the soft practice of managing and management development. London: Prentice Education, 2004.

PFEFFER, J.; FONG, C. T. O fim das escolas de negócios. Revista de Administração de Empresas - RAE, v.43, n.2, p.11-28, 2003.

PRINCE, M.; BURNS, D.; LU, X.; WINSOR, R. Knowledge and skills transfer between MBA and workplace. Journal of workplace learning, v. 27, n.3, p.207-225, 2015.

PHAM, N. T. P.; SEGERS, M. S. R,; GIJSELAERS, W. H. Effects of work environment on transfer of training: emprirical evidence from Master of Business Administration programs in Vietnam. International Journal of Training and Development, v.17, n.1, p.1-19, 2012.

RUAS, R. Mestrado Executivo, Formação Gerencial e a Noção de Competências: provocações e desafios. In: Encontro da Associação Nacional dos programas de Pós-graduação em Administração - EnANPAD, XXV, 2001 Campinas. ANAIS…Campinas, 2001.

RUAS, R.; COMINI, G. M. Aprendizagem e desenvolvimento de competências: articulando teoria e prática em programas de pós-graduação em formação gerencial. Cadernos EBAPE, v. 5, Edição Especial, 2007.

RUBIN, R. S.; DIERDORFF, E. C. How relevant is the MBA? Assessing the alignment of required curricula and required managerial competencies. Academy of Management Learning &Education, v.8, n.2, p. 208-224, 2009.

SANTOS, J. A. Learning Environments in Management Education: in search of meaning. In: Encontro da Associação Nacional dos programas de Pós-graduação em Administração - EnANPAD, XXXIII, 2009 São Paulo. ANAIS...São Paulo, 2009.

SNELL, R.; JAMES, K. Beyond the tangible in management education and development. Management Learning, v.25, n.2, p.319-340, 1994.

VERGARA, S. C. Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas, 2009.

WEXLEY, K. N.; BALDWIN, T. T. Management Development. Journal of Management, v.12, n.2, p.277-294, 1986.

WEXLEY, K. N.; BALDWIN, T. T. Management Development. Journal of Management, v.12, n.2, p.277-294, 1986.

WOOD JR., T.; CRUZ, J.F.P. MBAs: cinco discursos em busca de uma narrativa. Cadernos Ebape, v.12, n.1, p.26-44, 2014.

WOOD JR, T.; PAULA, A. P. O Fenômeno dos MPAs Brasileiros: Hibridismo, Diversidade e Tensões. In: Revista de Administração de Empresas - RAE, São Paulo, v.44, n.1, p.116-129, 2004.

Publicado
2019-12-26