A interação na educação superior a distância: um estudo de caso na Universidade Aberta do Brasil

  • Karin Vieira da Silva Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Universidade de Lisboa
  • João Peixoto Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG/ULisboa)
  • Marilei Osinski Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carolina Schmitt Nunes Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

O objetivo deste trabalho é conhecer a percepção de alunos, tutores e professores ao longo de um curso de graduação a distância, no que se refere à interação estabelecida entre eles. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com coordenadores (6), tutores presenciais (8), tutores a distância (2) e alunos concluintes (24) do curso de administração a distância ofertado pela Universidade Federal de Santa Catarina através do Sistema Universidade Aberta do Brasil. A análise de dados seguiu os preceitos da análise de conteúdo de Bardin (2004). Os resultados indicam que as interações aconteciam presencialmente e virtualmente e que os alunos consideram a interação entre eles e com os tutores satisfatória. Entretanto, em relação aos professores, a satisfação tende a decrescer. Além disso, há evidências nos discursos dos entrevistados de que a interação pode afetar tanto no desempenho quanto na permanência dos alunos no curso, especialmente nos primeiros semestres.

Biografia do Autor

Karin Vieira da Silva, Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Universidade de Lisboa
Doutora em Sociologia Econômica e das Organizações (2016) pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa. Graduada (2011) e Mestre (2013) em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina. É Investigadora do SOCIUS/CSG - Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações, ISEG/ULisboa e professora do Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE
João Peixoto, Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG/ULisboa)
Professor Catedrático no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG/ULisboa)Investigador do SOCIUS/CSG - Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações, ISEG/ULisboa
Marilei Osinski, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestre e doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento na Universidade Federal de Santa Catarina. Possui graduação em Ciências da Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina. Foi bolsista de Iniciação Científica do CNPq/PIBIC de 2010 a 2014. Atualmente é bolsista de Doutorado da CAPES no Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade (NGS)/ CTC/ UFSC
Carolina Schmitt Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutora e Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento na Universidade Federal de Santa Catarina na área de mídia e conhecimento. É Administradora pela referida universidade, desenvolveu seu trabalho de conclusão de curso e a dissertação em compartilhamento de conhecimento na EaD. Durante a graduação realizou atividades de monitoria, consultoria e pesquisa nas áreas de Recursos Humanos e Logística. Em 2014 atuou como professora substituta do Departamento de Administração na Universidade Federal de Santa Catarina. Nos últimos cinco anos trabalhou em projetos de educação a distância, inovação e tecnologias educacionais. Realizou o seu doutorado sanduíche na Cátedra de Educação a distância da UNESCO em Madrid, sob a orientação do professor Lorenzo Garcia Aretio. Atualmente é analista educacional no DOT Digital Group e secretária técnica e assistente de direção da RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia. Também leciona no curso de administração na Faculdade Decisão no curso de Administração. 

Referências

ALBARELLO L, DIGNEFFE F, HIERNAUX J-P, MAROY C, RUQUOY D, Saint-Georges P. Práticas e métodos de investigação em ciências sociais. Lisboa: Gradiva, 1997.

ALMARASHDEH, I. Sharing instructors experience of learning management system. Journal Computers in Human Behavior, v. 63, n. C, p. 249-255, Oct. 2016. Disponível em: <http://dl.acm.org/citation.cfm?id=2988661>. Acesso em: 14 jul. 2017.

ANDERSON, T. Modes of Interaction in Distance Education: Recent Developments and Research Questions. In: MOORE, M.; ANDERSON, G. (Eds.), Handbook of Distance Education. NJ: Erlbaum, 2003. p. 129-144.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições, 2004.

BELLONI, M. L. Educação à distância. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

CHAO, C-Y.; HWU, S-L.; CHANG, C-C. Supporting interaction among participants of online learning using the knowledge sharing concept. Journal of Educational Technology, 10, 2011.

COSTA, M. E. de O.; SANTOS, M. S.; BARBOSA, A. L. da R.. Educação a distância e as bibliotecas universitárias: uma interação necessária. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 20, n. 2, p. 38-57, abr./jun. 2015. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1939/1615>. Acesso em: 19 jul. 2017.

DELGATY, L. E. Redefining Practice: Challenging Academic and Institutional Traditions with Clinical Distance Learning. Electronic Journal of e-Learning, v. 15, n. 1, p. 17-32, 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2017.

FELIPE, M. W. F. Moodle monitor: um instrumento computacional para acompanhamento da interação no Ambiente Virtual de Aprendizagem dos cursos de graduação a distância da UAB/UECE. 103 f.. Dissertação (Mestrado Profissional em Computação Aplicada). Mestrado profissional em computação aplicada – MPCOMP da Universidade Estadual do Ceará e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. 2013. Disponível em: <https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=584208>. Acesso em: 23 jul. 2017.

FREI BETTO. Desafios para o nosso empenho educativo. In: Muitos lugares para aprender (p. 105-120). São Paulo: CENPEC / Fundação Itaú Social / Unicef, 2003.

HUOT, R. Métodos quantitativos para as ciências humanas. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

OECDE. OECDE, 2016. Disponível em: <https://stats.oecd.org/glossary/detail.asp?ID=2620>. Acesso em: 20 jul. 2016.

OLIVER, A. OSA, J. O., WALKER, T. M. Using instructional technologies to enhance teaching and learning for the 21st century Prek-12 students: the case of a professional education programs unit. International Journal of Instructional Media, v. 39, Issue 4, p. 283-295, 2012. Disponível em: <https://www.highbeam.com/doc/1G1-311499605.html>. Acesso em: 23 jul. 2017.

PACHECO, A. S. V. Evasão e permanência dos estudantes de um curso de administração do sistema Universidade Aberta do Brasil: uma teoria fundamentada em fatos e na gestão do conhecimento. 298 f.. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento). Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina. 2010. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/94131/278671.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 29 jul. 2017.

PARANÁ (Estado). Secretaria de Estado da Educação. Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE. Tecnologias na educação: caderno temático. Guaratuba: PR, 2008. 44 p. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2552-6.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2017.

ROCHA, I. R. A. O novo cenário da educação e as redes sociais: desafios da docência na era da comunicação interativa. In: ALMEIDA, Luciane Infantini da Rosa (Org). Questões atuais em educação: sustentabilidade e redes sociais. Curitiba: Appris, 2013, p. 65-74.

SARTORI, A., ROESLER, J. Educação superior a distância: gestão da aprendizagem e da produção de materiais didáticos impressos e on-line. Tubarão: Editora Unisul, 2005.

Silva, A. de L. As concepções de formação para autonomia na educação a distância: olhares a partir da teoria crítica da sociedade. Dissertação de mestrado em educação. Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.

SIMONSON, M. Concepciones sobre la educación abierta y a distancia. In: BARBERÁ, Elena (Coord). Educación abierta y a distancia. Barcelona: UOC, 2006. p. 13-48. Disponível em: <http://d20uo2axdbh83k.cloudfront.net/20140323/360f58b4260ba98ef0d6e245619b69cc.pdf>. Acesso em: 19 jul. 2017.

VALENTE, J. A. Educação a distância no ensino superior: soluções e flexibilizações. Interface - Comunic, Saúde, Educ, v. 7, n. 12, p. 139-48, fev. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v7n12/v7n12a09.pdf>. Acesso em: 19 jul. 2017.

VÍCTORA, C. G.; KNAUTH, D. R., HASSEN, M. Metodologias Qualitativa e Quantitativa. In: Pesquisa Qualitativa em Saúde: uma introdução ao tema, 33-44. Tomo Editorial, 2000.

WAGNER, E. D. In Support of a Functional Definition of Interaction. The American Journal of Distance Education, 8 (2), 6-26, 1994.

Publicado
2019-01-03